Adulto vence São José nos pênaltis, pela Copa do Brasil.

São-José-1-x-3-Taboão-pênaltis
Materia: Adilson Oliveira/Verbo Online

 

ADILSON OLIVEIRA
Enviado especial do VERBO ONLINE a São José dos Campos (SP)

 

Em um jogo disputado e dramático, as meninas do Taboão da Serra venceram o São José, fora de casa, nos pênaltis (3 a 1) e passaram à próxima fase, quartas-de-final, da Copa do Brasil de Futsal, no domingo (18), no ginásio Tênis Clube, em São José dos Campos. Clássico paulista, cercado de rivalidade, o duelo foi às penalidades após a equipe mandante devolver a derrota da partida de ida e bater as visitantes por 2 a 1, e depois de empate, sem gols, na prorrogação.

Com o São José nervoso no início do jogo, o Taboão abriu o marcador antes de 1 minuto de bola rolando. Após erro de passe de Emmily, a capitã Su Reis fez ligação rápida para Natalinha, que rolou para a companheira posicionada rente à trave, Drika, que só escorou: 1 a 0, aos 53 segundos. Porém, o São José logo empatou. Taís tocou no meio diante da área adversária, Emmily aproveitou falha de marcação do Taboão e bateu de primeira: 1 a 1, aos 2 minutos.

O São José passou a dominar e virou rápido. Aos 4, Emmily bateu do “meio da rua” no canto de Marielle: 2 a 1. Com toda a etapa inicial pela frente, as anfitriãs pressionaram, sem ampliar. Na segunda etapa, o Taboão voltou melhor, foi mais agressivo, mas a goleira Regiane evitou o empate que classificaria o rival. Porém, Beatriz se viu diante do gol aberto, mas se atrapalhou e foi travada por Drika. Depois, Marielle “voou” para fazer ao menos duas grandes defesas.

Com uma vitória para cada lado em dois jogos, o confronto foi para mais dois tempos de cinco minutos, em que as duas equipes se lançaram ao ataque e exigiram muito das goleiras. Marielle voltou a fazer defesas decisivas em tiros à queima-roupa. Mas a melhor chance foi do Taboão com o tiro livre após a sexta falta adversária. Luana cobrou no canto, mas Regiane espalmou. Ao apito final da prorrogação, o elenco do São José desabou em quadra, exausto.

O Taboão bateu o primeiro pênalti com Paola, sem chances para Regiane. Com Flaviani na meta taboanense, Emmily, autora dos dois gols joseenses, desperdiçou, na trave. Luana foi para a segunda cobrança do Taboão e agora marcou: 2 a 0. Letícia, destaque do São José no jogo de ida, mas com atuação apagada na partida em curso, descontou. Com Jhennifer no gol, a recém-contratada Gabi bateu no canto oposto da arqueira e selou a classificação do Taboão: 3 a 1.

Drika, que balançou as redes para Taboão e evitou um do São José, creditou o triunfo ao foco do elenco. “A gente sabia do desafio que ia ter aqui hoje, só que em nenhum momento perdeu a concentração, foi o que fez a diferença. A gente já tinha perdido duas decisões nos pênaltis, mas hoje saiu a ‘inhaca’. Agora, é trabalhar bastante, fazer as correções para estar preparada para a próxima fase”, disse. Ela dedicou o gol à mãe, Silvana, aniversariante no dia.

O técnico Marcos Derrico lamentou que São José não “matou” o jogo com a bola rolando. “É um grande clássico do Estado, quiçá [o maior] do Brasil, aí é detalhe, [vence] quem erra menos. Não gosto de falar que [pênalti] é loteria, mas a sorte acaba acompanhando um pouco também”, disse. Ele falou sobre Letícia não ter rendido como no duelo anterior. “Cada jogo tem uma história, às vezes não encaixa para ela, e hoje o adversário já veio mais atento com ela.”

O Taboão sentiu a falta de Lorrana, desfalque por expulsão. “A gente não teve a Lorrana, a Fernanda não foi liberada a tempo, não estava com força máxima. Mas as meninas se entregaram, deixaram tudo na quadra. Taticamente, faltou um pouquinho de passe certo no segundo pau, de escolha de melhor passe. Fizemos uma marcação especial não só para a Letícia, mas para as pivôs delas. Roubamos muita bola. Só faltou o gol”, analisou a técnica Cris Souza.

O Taboão superou o “trauma” dos pênaltis. “Tiramos aprendizado depois de não conseguirmos vencer nas últimas decisões. Conseguimos ter tranquilidade, equilíbrio, treinamos para olhar e esperar a goleira decidir primeiro, foi isso que nos deu a vitória. Também mudei a estratégia, tirei a sobrecarga da Luana de ter de bater o último pênalti. Mas, claro, temos uma excelente equipe, confio em todas as minhas atletas, todas trabalham muito”, ressaltou Cris.

Na sequência da Copa do Brasil de Futsal Feminino, pelas quartas-de-final, o Taboão vai enfrentar a Associação Malgi, de Pelotas (RS), com primeiro jogo em casa e partida de volta no Rio Grande do Sul, em datas a serem anunciadas. Durante a pausa na competição nacional, a equipe taboanense volta a disputar o Campeonato Paulista e entra em quadra neste sábado (24), como mandante. No ginásio Zé do Feijão, às 19h (entrada gratuita), encara o São Bernardo.

FICHA TÉCNICA
São José 1 (1) x (3) 1 Taboão da Serra
COPA DO BRASIL DE FUTSAL FEMININO – oitavas de final
Gols – 10. Drika (Taboão da Serra) – 0min53s 1º T / 9. Emmily (São José) – 2min31 e 4min56 1º T
Nos pênaltis – 11. Paola, 12. Luana, 31. Gabi (Taboão da Serra) | 90. Letícia (São José)

Fonte: Verboonline.com.br

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email